TRE convida eleitores para atuarem como coordenadores de acessibilidade nas Eleições 2022

0
106
PMTO IPTU - 728x90


A função dos coordenadores será auxiliar os eleitores com alguma deficiência ou dificuldade de locomoção para votarem com mais comodidade

O TRE-MG está convocando eleitoras e eleitores para atuarem como coordenadores de acessibilidade em mais de 1.800 locais de votação em Minas Gerais. A função deles será auxiliar pessoas com deficiência ou dificuldades de locomoção a chegarem até a seção eleitoral e votarem com mais comodidade, além de prestar esclarecimentos sobre direitos como votar em uma seção de fácil acesso e ser acompanhado por uma pessoa de sua confiança na cabine de votação.

Em todos os locais de votação de Belo Horizonte e nos locais de votação no interior que tenham a partir de três mil eleitores é obrigatório haver coordenadores de acessibilidade, sendo um em cada turno do dia (manhã e tarde). De acordo com a Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão do TRE-MG, os coordenadores estarão presentes em 436 locais em Belo Horizonte e em 1.399 locais de votação de 360 municípios no interior de Minas. Será necessária, portanto, a colaboração de 3.670 eleitoras e eleitores nessa função.

Confira a relação completa de cidades que terão coordenador de acessibilidade. Os interessados em atuar como coordenador de acessibilidade devem entrar em contato com a zona eleitoral na qual são registrados como eleitores para se inscreverem. Confira os e-mails e telefones dos cartórios eleitorais. O contato também pode ser feito pelo Disque-Eleitor, no telefone 148.

Mesmo nos 492 municípios do interior em que não há nenhum local com obrigatoriedade de ter coordenador de acessibilidade, eleitoras e eleitores podem procurar o cartório eleitoral para manifestar interesse em colaborar. Caberá à zona eleitoral responsável por cada cidade avaliar a possibilidade de nomear pessoas para a função.

Requisitos – Assim como os mesários, os coordenadores de acessibilidade precisam ter 18 anos. Eles não podem ser candidatos ou parentes de candidatos; membros de diretórios de partido político que exerçam função executiva; autoridades e agentes policiais, bem como funcionários no desempenho de cargos de confiança do Executivo; nem pertencerem ao serviço eleitoral.

Não é necessário ter uma formação específica, mas é importante que a eleitora ou eleitor tenha experiência em lidar com pessoas com deficiência ou dificuldade de locomoção. Todos os convocados para atuar como coordenador de acessibilidade receberão um guia com orientações para o exercício da função.

Quem atuar como coordenador de acessibilidade vai ter direito a dois dias de folga para cada dia trabalhado e de treinamento, mas não receberá auxílio-alimentação, já que trabalhará apenas por meio período.

É importante ressaltar que a inscrição para coordenadores de acessibilidade é diferente da inscrição para mesário, ou seja, quem se inscreveu como mesário voluntário mas não foi convocado para atuar nessa função e quiser ser coordenador de acessibilidade precisa procurar a sua zona eleitoral.

Acessibilidade nas eleições – O projeto Coordenador de Acessibilidade, organizado pela Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão do TRE-MG, foi realizado pela primeira vez em 2018, apenas em Belo Horizonte. Em 2020, ele abrangeu também outros 235 municípios.

Essa é mais uma iniciativa da Justiça Eleitoral mineira para assegurar a todas as eleitoras e eleitores condições adequadas para o exercício do direito ao voto. Confira mais informações sobre acessibilidade nas eleições.

Siga-nos no Twitter e no Instagram.

Curta nossa página no Facebook.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui