Delegada conclui inquérito policial sobre a morte de bebê de um mês

0
1269
PMTO IPTU - 728x90


As investigações foram coordenadas pela delegada Hérika Ribeiro Sena, que vai remeter os autos à justiça nesta segunda-feira (06/06)

A dra. Hérika Ribeiro Sena está à frente das investigações

Teófilo Otoni – A delegada Hérika Ribeiro Sena que está à frente das investigações sobre a morte da recém-nascida I.A.L., de 01 mês de idade, na noite de sábado (28/05), na Rua Nair Soares, Bairro Tabajaras, em Teófilo Otoni, concluiu o inquérito policial e vai encaminhar os autos à justiça nesta segunda-feira (06/06). A menina morreu após ser arremessada de cima de uma laje, numa altura aproximada de 15 metros, pelo pai D.L.F., de 26 anos, que foi preso em flagrante pela Polícia Militar.

Na audiência de custódia, um dia após o crime, a prisão em flagrante de D.L.F. foi convertida em preventiva. O prazo do flagrante com o réu preso, para conclusão do inquérito policial, é de 10 dias, a dra. Hérika concluiu no prazo legal, e indiciou D.L.F. pelo crime de feminicídio. “O procedimento foi finalizado após inúmeras diligências, dentre provas técnicas e depoimentos as quais levaram ao indiciamento do pai da criança pelo crime de feminicídio em razão do vínculo familiar com a vítima”, informou a delegada.

Trâmites – A dra. Hérika Sena explicou que a audiência de custódia ocorreu um dia após o crime. Como o fato foi no sábado (28), assim que o juiz recebe a comunicação de alguém preso, é feita a audiência de custódia pra verificar se vai continuar preso, se o flagrante ocorreu dentro da legalidade, e outras observações pertinentes. Acompanhado do Ministério Público, o juiz faz a audiência, o investigado é ouvido com seu advogado, e o juiz decide se converte a prisão em flagrante em preventiva ou se vai liberar com liberdade provisória.

“Nesse caso, a juíza que estava de plantão converteu em preventiva, e ele permanece preso no presídio. Nisso, a gente finaliza o inquérito. Como ele está preso, e o tipo do crime dele o prazo é de 10 dias, que vence nesta segunda-feira (06), o inquérito será encaminhado ao juiz que está com o procedimento”, explicou a delegada. A partir daí vai para o Ministério Público que é o titular da ação penal, que decidirá se vai denunciar o investigado ou não, e começa a instrução processual.

O pai da criança foi preso em flagrante pela Polícia Militar

O Fato – na noite de sábado (28/05/2022), a Polícia Militar recebeu informações que em uma residência da Rua Nair Soares, Bairro Tabajaras, estaria ocorrendo um desentendimento entre um casal, e num determinado momento o homem arremessou um bebê pela janela, de uma altura aproximada de 05 metros, e a criança caiu na rua, foi socorrida e encaminhada até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas infelizmente não resistiu às lesões e morreu. Na necropsia no Instituto Médico Legal, pelo legista, dr. Dênio Soares, foi constatado que a causa da morte foi traumatismo crânio encefálico (TCE). A criança completaria 02 meses na segunda-feira (30/05).

A avó materna da criança, disse aos policiais que D.L.F chegou à residência por volta das 14h, e passou a desentender verbalmente com L.A.S., de 36 anos, que é mãe da criança. A mãe disse que desde a sua gravidez vinha tendo brigas e desentendimentos com D.L.F., e que no período de gestação ela foi agredida por ele com soco na barriga. Ela disse que não convive com ele, que apenas passava na residência para visitar a menina. Mas, nesta data, quando os dois estavam dentro da residência dela, desentenderam verbalmente, ela foi até a cozinha, e ao retornar onde ele estava, percebeu que ele havia arremessado sua filha pela janela. (Fotos: Diário Tribuna / Victor Couy).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui