ENTREVISTA: Dr. Éder Detrez Silva

0
308
Copasa - 728x90


Vice-prefeito e presidente do PSDB em Teófilo Otoni

O médico Ortopedista e Traumatologista, Mestre em Ortopedia Pela SCMBH, membro da SBOT, SBQ e SBCOC, dr. Éder Detrez Silva, vice-prefeito de Teófilo Otoni, se filiou ao PSDB, em Belo Horizonte, ao lado do deputado federal Aécio Neves. E, nessa mesma audiência ele entregou ao deputado, um projeto de sua autoria, que construiu aqui durante toda a sua história em Teófilo Otoni. O arrojado projeto recebeu o nome de “Teófilo Otoni Malha Y”, uma ferrovia que abrangeu os três vales: Mucuri, Jequitinhonha e São Mateus. Em entrevista exclusiva ao Diário Tribuna, o dr. Éder agradeceu o espaço para poder expor as suas ideias sobre Teófilo Otoni e região.

DIÁRIO TRIBUNA – O senhor deu um passo à frente no campo político, agora se filiando ao PSDB e assumindo a presidência do partido em Teófilo Otoni. Por que escolheu esse partido para se filiar?

DR. ÉDER DETREZ – Eu estive em Belo Horizonte no final de fevereiro, até conversei previamente com o prefeito Daniel, informei a ele que estava indo no gabinete do deputado federal Aécio Neves, e, juntamente comigo estiveram lá, o presidente da Câmara, vereador Fábio Lemos, o vereador Branquinho, que fizeram uma visita no mesmo dia. Fui muito bem atendido por Aécio, fiquei até muito lisonjeado pela deferência que ele fez à minha pessoa. Conversamos muito sobre o passado em Teófilo Otoni, sobre sua história, sobre a história do seu avô, do seu pai, e eu recebi até um presente dele, um livro do Tancredo Neves, ele autenticou para mim, fez uma dedicatória, isso me deixou muito feliz.

Nesse encontro eu entreguei a ele uma correspondência pedindo recursos para a saúde e infraestrutura de Teófilo Otoni, prontamente ele acolheu a solicitação, no mês de abril foi aprovada uma verba de R$ 500 mil para saúde, que passamos para os hospitais, Santa Rosália e Bom Samaritano, e também uma ajuda para a Fundação dos Jovens Aprendizes. Nesse momento, ele fez o convite para eu estar junto com ele no PSDB, uma vez que ele tem muito apreço por Teófilo Otoni, afinal de contas, ele tem raízes aqui, fez muitos trabalhos durante seu mandato de deputado, os dois mandatos, de governador e de senador, pôde ajudar muito a nossa cidade, haja vista que hoje nós temos o Banco do Nordeste que ele, quando deputado no seu primeiro mandato, pôde nos colocar na área da Sudene.

Mas, durante o seu mandato de governador, tantas coisas que fez aqui por Teófilo Otoni: as barragens, asfaltamento de cidades circunvizinhas, o Expominas, tantas verbas que mandou para assistência social, para o HSR como o Pró-Hosp – verbas específicas para a saúde desta região. É um político que sempre esteve olhando para a nossa cidade, então, eu vi aquele convite com muita satisfação. Voltei para Teófilo Otoni, comuniquei ao prefeito Daniel sobre a verba que recebemos, ficou feliz, já distribuímos para os hospitais. Comuniquei à provedoria do HSR, na pessoa do dr. Ilter, do administrador Leonardo. Comuniquei também ao Bom Samaritano, à administradora Maflávia. Ao Guilherme de Castro e ao prefeito Daniel, sobre esse aporte financeiro que estava chegando para esses hospitais.

Agora em julho, estive em Belo Horizonte novamente no gabinete do deputado, onde ele me atendeu com muita alegria, e nesse momento nós pudemos realmente selar essa filiação endossada por ele, e nessa mesma audiência eu entreguei novamente pra ele, um projeto da minha autoria, que fizemos aqui durante toda essa minha história em Teófilo Otoni. Vocês sabem muito bem que sou filho de ferroviário, meu pai é Egídio José da Silva, nascido aqui no Distrito de Pedro Versiani, foi um funcionário da Bahia e Minas por 40 anos. Nasci escutando as histórias da estrada de ferro. Eu fiz um projeto muito bem feito, encadernado, com fotografias coloridas, didaticamente, mostrando a ele o novo traçado de uma malha ferroviária aqui para Teófilo Otoni. O título desse projeto é “Teófilo Otoni Malha Y” – uma ferrovia que abrange os três vales: Mucuri, Jequitinhonha e São Mateus, e estendendo a Araçuaí. De Araçuaí até Montes Claros. De Montes Claros à ferrovia Norte-Sul. E Norte-Sul a Ferrogrão. Ligando Teófilo Otoni nos moldais mais importantes ferroviários do Brasil, o Ferrogrão, Norte-Sul e a FCA que é a que liga de Belo Horizonte a Montes Claros, e Montes Claros a Ilhéus.

Esse projeto, eu fui didaticamente mostrando ao deputado Aécio, ele se encantou porque é um projeto desenvolvimentista, assim como foi a Bahia e Minas. Ele disse a mim: “irei estudar, da próxima vez que conversarmos, você pode ter certeza que eu vou saber mais desse projeto que você mesmo que criou. E eu vou levar para o ministro Tarcísio em Brasília, iremos viabilizar esse projeto”. E sai do gabinete dele muito feliz com esse aceite do deputado. Imediatamente fomos para a sede do PSDB, no Barro Preto, onde participei de uma live junto com ele e políticos de Minas Gerais, depois concedi uma entrevista para ficar no site do PSDB, de forma que eu fui muito bem acolhido por eles. Foi muita felicidade porque o Aécio Neves é um expoente, é um político que sempre olhou por Teófilo Otoni.

Interessante, que na nossa conversa no gabinete, ele revelou uma curiosidade que eu não sabia, e talvez quase ninguém saiba: o primeiro discurso que ele fez na vida foi em Teófilo Otoni, aos 14 anos. Ele estava em campanha política com o seu pai, Aécio Cunha, e, durante a campanha, o pai pediu a ele que falasse alguma coisa, e ele fez seu primeiro discurso. Tudo isso tem uma marca, é simbólico, é emblemático. Eu assumo o PSDB de Teófilo Otoni, não para fazer rivalidade com outras siglas de outras agremiações, de maneira nenhuma, a minha entrada na política foi para somar, não para dividir. Isso eu deixei bem claro com o prefeito Daniel Sucupira. Tive uma reunião no sábado com a cúpula do PT daqui e deixei bem claro que eu estou para somar.

Como disse na campanha e na live da entrada na chapa com Daniel, que eu sou um patriota regional, sou um teofilotonense que adora essa cidade e quer vê-la crescer mais e mais, e voltar os seus momentos de glória. Já fomos uma cidade que ocupou a 5ª ou 6ª posição em Minas. Eu tenho um sonho como filho de ferroviário, de ver aqui uma ferrovia, não naqueles moldes antigos, cortando a cidade, com as pessoas se despedindo, com braços do lado de fora passando no centro da cidade. Isso não, porque não temos nem espaço pra isso mais. Penso numa ferrovia próxima à nossa cidade, mais ou menos a uns 5 a 10 quilômetros do centro, mas que vai receber mercadorias de todas as cidades dos vales Mucuri, Jequitinhonha e São Mateus. Porque nós temos uma ferrovia que já está sendo desenvolvida, que saindo de São Mateus, através da Petrocity, passando por Barra de São Francisco, Governador Valadares até chegar a Confins.

Essa ferrovia vem até perto de nós, mas não vem a Teófilo Otoni, então nós criaremos um braço de Teófilo Otoni a Barra de São Francisco, e também receberíamos o antigo leito da Bahia e Minas, porque já está sendo desenvolvido em terras baianas, pelos políticos daquela região. Vai passar por Teófilo Otoni, no leito da antiga Bahia e Minas seguindo até Araçuaí. Quando eu falo Teófilo Otoni Malha Y, é exatamente pegando um Y, ligando um braço, recebendo a ferrovia que vem lá da Bahia, e também fazendo um Y, ligando à Barra de São Francisco. Daqui, chegando a Araçuaí, a Montes Claros, a Norte-Sul, a Ferrogrão, daí para o mundo. Nós estaríamos ligando Teófilo Otoni ao mundo, recebendo commodities, recebendo rochas ornamentais, ferro, níquel, nióbio, eucalipto da nossa região, Grafite de Pedra Azul, granito de Medina, Betim, Comercinho, Itaobim, gado, pessoas. É ligar Teófilo Otoni ao oceano, e também ao Centro-Oeste do Brasil.

DT – Há quanto tempo o senhor vem desenvolvendo esse projeto?

ED – Na verdade eu fiquei durante toda a vida. Como disse eu sou filho de ferroviário, eu nasci escutando as histórias da Bahia e minas, e não tinham pessoas mais apaixonadas por essa história, que o meu pai e outros ferroviários que eu conheci. Esta vontade de ter uma ferrovia em Teófilo Otoni, entrou realmente na minha alma, e desde quando eu retornei para cá, quando fui presidente da Associação Ferroviária, a gente discute muito sobre a viabilidade dessa ferrovia. Mas amadurecendo essa ideia, eu vi que naqueles moldes que era a ferrovia anteriormente que terminava em Araçuaí, era inviável, porque fica isolado e não liga nada com nada. Desse ano para cá eu amadureci muito essa ideia, fizemos um trajeto totalmente diferente, ligando realmente Teófilo Otoni ao mundo. Quando falo ao mundo, é a esses moldais que disse, mais ao Centro- -Oeste do Brasil. Vamos ter um porto em São Mateus – fazendo Teófilo Otoni com um braço até Barra de São Francisco. Vamos ter um porto em Caravelas – sai de lá e passar por Teófilo Otoni. E teremos mais acima um porto em Ilhéus. Eu acredito muito que, uma ferrovia em Teófilo Otoni, irá transformar a região inteira para o progresso.

Nós tivemos engessados por aproximadamente 55 anos, quando a Bahia e Minas se encerrou aqui em 1966. De lá pra cá todas as cidades onde a linha férrea passava, ficaram paralisadas no tempo, Teófilo Otoni não foi diferente. Eu acredito, sempre acreditei, e agora com esse projeto “Teófilo Otoni Malha Y” nós colocamos Teófilo Otoni novamente nos trilhos do progresso. Eu apresentei ao deputado e disse a ele: essa homenagem é de seu pai Aécio Cunha que recebeu uma pecha em Teófilo Otoni, de ter sido um dos políticos que foi omisso na extinção da Bahia e Minas. Isso aqui é uma homenagem a ele, não só por isso, mas pela viabilidade que o deputado viu, por entender que uma ferrovia aqui em Teófilo Otoni irá trazer um novo período desenvolvimentista que ele abraçou e disse a mim que estaria estudando e empenhando o máximo com o ministro Tarcísio em Brasília.

Dr. Éder Detrez se filiou ao PSDB e assumiu a
presidência do partido em Teófilo Otoni
Dr. Éder entregou ao deputado federal Aécio Neves
o seu projeto – “Teófilo Otoni Malha Y”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui