Final de semana chuvoso é marcado por várias saídas de pista e colisões de motocicletas na MGC 418

0
205

O final de semana chuvoso entre os dias 26 a 28 de janeiro, foi marcado por vários acidentes de trânsito na rodovia MGC 418. Foram saídas de pista no trecho que liga Teófilo Otoni ao estado da Bahia, e colisões de motocicletas no perímetro de urbano de Teófilo Otoni. “Um detalhe que chamou a nossa atenção e nos preocupou foram os vários acidentes envolvendo motocicletas no perímetro urbano de Teófilo, em um pequeno espaço de apenas três quilômetros entre a BR 116 e o bairro Serra Verde. Os ocupantes das motos sofreram ferimentos”, disse o tenente Reinaldo.

Nas colisões na área urbana, em um deles o motociclista alegou que o automóvel fez uma conversão proibida de retorno. No outro acidente o motociclista informou que o carro tentou convergir irregularmente no semáforo do bairro Bela Vista. Em mais um caso um veículo teria saído de um estabelecimento comercial e aconteceu a colisão com a moto que trafegava na MGC 418.

O tenente ressalta que, em relação ao perímetro urbano de Teófilo Otoni, trata-se de uma área comercial, extremamente movimentada até mesmo por caminhões. Todos os condutores precisam redobrar atenção, mas o alerta maior vai para os motociclistas que em caso de colisão, tendem a se ferir. Tem percebido muita pressa nos deslocamentos e isso tem saído caro para eles.

Entre Teófilo Otoni e Nanuque aconteceram algumas saídas de pista pela perda do controle direcional. Os condutores negaram excesso de velocidade, mas em um dos fatos o motorista culpou a lama que desceu do barranco, e em outro declarou que mesmo percebendo o cansaço tentou chegar à Nanuque para descansar. Durante o trajeto cochilou na curva e passou direto.

Na parte rural a MGC 418 está em fase de reforma, com alguns trechos sem a sinalização por faixas, outros com a pavimentação frisada ou com britas. “Existem placas de advertência. Cabe ao motorista respeitá-las e reduzir a velocidade. Importante relembrar que a chuva por si só não causa os sinistros, apenas os potencializam devido à pista escorregadia, a concentração de água e lama, a redução da visibilidade e às quedas de barreiras, árvores, galhos e bambus”, pontuou.

Ele frisa que, não tem como controlar os eventos da natureza, mas a população pode minimizar os riscos, realizando apenas as viagens mais urgentes. Os deslocamentos devem ser planejados, inclusive com a possibilidade de hospedar-se em alguma cidade quando a situação da estrada apresentar perigos. As equipes da Polícia Militar Rodoviária tem feito patrulhamentos e operações na rodovia MGC 418 para manter a segurança. Basta que os condutores entendam o momento, as circunstâncias, especialmente das chuvas e dirijam de forma defensiva.

Frequentemente usuários da rodovia tem reclamado de comportamentos inadequados de outros motoristas, fazendo ultrapassagens em locais proibidos, até mesmo nas curvas, e invadindo a pista contrária devido ao excesso de velocidade ou falta de habilidade. Essas reclamações, segundo o militar, demonstram que muitos dos acidentes devem estar ocorrendo por imprudência. (Informações/Fotos: tenente Reinaldo Martins, comandante do 1º Pelotão da 15ª Cia PM RV).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui