Após 69 anos, escritor natural de Águas Vermelhas lança livro contando sua história de vida em um confinamento em Betim

0
535

Nelson Pereira Flôres foi retirado do seio familiar aos 12 anos para tratamento de hanseníase

Depois de 69 anos, Nelson Pereira Flôres volta à sua terra natal, Águas Vermelhas, lançando obra onde revela o drama da separação familiar por causa da hanseníase. O lançamento do livro “A Rosa e o Machado: Memórias de um brasileiro excluído”, será na sexta-feira, dia 12 de abril, durante solenidade na Câmara Municipal de Águas Vermelhas. O evento, aberto ao público, ocorrerá às 19h, na sede do poder legislativo, na Praça Leonízia de Souza, nº 44, e é organizado pela Secretaria Municipal de Cultura de Águas Vermelhas.

A obra, publicada pela editora Autores do Brasil, é uma autobiografia que aborda, em 750 páginas, os anos vividos na Colônia Santa Isabel, a saudade de sua terra natal, e o confinamento compulsório em colônias pelo Brasil, de ex-pacientes com hanseníase. Na colônia onde esteve, ele se casou, adotou um filho, e a história completa pode ser lida na obra literária.

Sobre o autor – Nelson Pereira Flôres nasceu em 1˚ de abril de 1943, em Águas Vermelhas, Minas Gerais, e foi internado compulsoriamente na Colônia Santa Izabel, em Betim, em agosto de 1955, quando tinha 12 anos de idade. Os anos vividos na comunidade fez dele uma testemunha qualificada da história da hanseníase.

Em 2005, começou sua militância social e política, tornando–se voluntário do Morhan. Participou, com outros moradores da colônia, do movimento que levou à conquista da Lei 11.520/2007, sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que indenizou os ex–pacientes de hanseníase confinados compulsoriamente em colônias pelo Brasil. Atualmente, o autor vive com a família na Colônia Santa Izabel. (Foto: Divulgação).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui