Idoso morre após colidir sua motocicleta em ônibus escolar, na MG 217, em Poté

0
62

A Polícia Militar Rodoviária foi acionada para atender um grave acidente de trânsito com vítima fatal, na rodovia MG 217, km 45, entre Poté e Malacacheta, nesta quinta-feira (18/4). No local os militares depararam com a motocicleta Honda CG Titan, cor prata, tombada na pista, após chocar-se na traseira do ônibus escolar da cidade de Poté. Ao lado estava o condutor da motocicleta, Reinaldo Pereira do Nascimento, 68 anos, que residia em Poté, sem sinais vitais.

O motorista do ônibus relatou que seguia sentido Poté, quando parou na lateral da via para desembarcar os alunos adolescentes, momento em que surgiu a motocicleta e colidiu na traseira do coletivo. Após o acidente uma equipe do Samu de Malacacheta se fez presente, realizou o atendimento e constatou o óbito da vítima. A perícia técnica compareceu, fez os trabalhos de praxe e o corpo foi removido ao IML para a necropsia.

Em consulta ao sistema informatizado os policiais detectaram que o motociclista não possuía carteira de habilitação para conduzir o veículo. O condutor do ônibus foi submetido ao teste do etilômetro e o resultado foi negativo para o uso de álcool. No local não possui placas de embarque e desembarque de passageiros, mas o motorista do ônibus afirmou que é comum pararem ali, inclusive as empresas de transporte coletivo.

“As causas serão averiguadas no inquérito policial ou no processo, para esclarecer o que realmente teria acontecido nessa tragédia. Entender se o fato do motociclista ser inabilitado contribuiu ou não, assim como definir se o trecho onde o ônibus parou pode ter impactado na colisão”, disse o tenente Reinaldo.

Ele destaca, que as rodovias da região são estreitas, obrigando os condutores de ônibus pararem nas laterais da via para embarque e desembarque de passageiros e alunos. Por serem rodovias de fluxo lento, com velocidade máxima permitida de apenas 60 km/h, as paradas em locais de reta que oferecem boa visibilidade, não causam tanto risco. “O que deve ser evitado são as paradas nas descidas, subidas e próximo às curvas, que tendem a surpreender os condutores e aumentar a possibilidade de colisões e capotamentos”, disse. (Informações/Fotos: Polícia Militar Rodoviária).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui