ENTREVISTA: Vanilson Maciel de Souza – Pré-candidato a vice-prefeito de Teófilo Otoni na chapa com o Comandante Marinho

0
143
O repórter, locutor esportivo, Vanilson Maciel de Souza, confirmou no sábado (29/6) ao Diário Tribuna, a sua pré-candidatura a vice-prefeito de Teófilo Otoni, compondo chapa com o Comandante Marinho. Em entrevista à nossa reportagem, Vanilson Souza fala das suas pretensões políticas, porque aceitou esse desafio, e explica a sua fala há algum tempo, de que não queria e não aceitaria algum dia concorrer a nenhum cargo eletivo. Agora ele aceitou e já confirmou a sua decisão. Seu nome foi lançado em evento realizado na noite de sexta-feira, mas a primeira entrevista ele aceitou conceder ao Diário Tribuna.

DIÁRIO TRIBUNA – Como foi que chegou a você essa possibilidade de ser pré-candidato a vice-prefeito na chapa com o Comandante Marinho?

VANILSON SOUZA – Na verdade, há alguns dias eu fui sondado por pessoas ligadas ao grupo do Fábio Marinho dos Santos. E, ventilando essa possibilidade, porque eles teriam feito um levantamento, e viram que havia uma condição muito grande da gente conseguir somar, contribuir com a chapa do Comandante Marinho, para essa disputa da eleição majoritária aqui em Teófilo Otoni, foi feito esse convite, eu passei a analisar para que pudesse tomar decisão diante das bênçãos de Deus. Entreguei primeiro nas mãos de Deus como eu sempre faço na minha vida. E junto com minha família, minha esposa, minha filha, meus pais, para que pudéssemos tomar a melhor decisão daquilo que fosse importante, para de alguma forma tentar contribuir com a nossa cidade.

DT – Você realmente confirma que aceitou compor chapa com o Comandante Marinho como pré-candidato a vice?

VS – Sim. Depois de muita conversa, de entendimento, de reflexão, aceitei o convite para fazer parte dessa chapa majoritária como pré-candidato a vice-prefeito de Teófilo Otoni, na composição com Marinho, para tentarmos ajudar essa cidade a crescer, prosperar, desenvolver, e principalmente, contribuir para uma melhor qualidade de vida da população, em especial, da que mais depende do poder público, dos serviços públicos de qualidade aqui na cidade. Por essa razão aceitei sim o convite e me coloquei à disposição para participar desse processo eleitoral como pré-candidato a vice na chapa do Comandante Fábio Marinho.

DT – Após cogitar seu nome como possível pré-candidato, o que mais se ouve na cidade é que você teria dito que jamais se candidataria a algum cargo eletivo. Você realmente disse? Por que aceitou?

VS – Isso de fato procede. Eu disse e não foi uma vez apenas não. Eu disse inúmeras vezes que jamais seria candidato, que jamais iria disputar algum cargo eletivo aqui dentro de Teófilo Otoni, que jamais teria essa pretensão. Inclusive, cheguei em algumas ocasiões até dizer que – se eu fosse candidato que não votassem em mim. Mas, o que mudou? O que mudou, amigos do Diário Tribuna, é que os últimos anos têm se tornado muito difíceis, no que se refere à liberdade de expressão, e a oportunidade de dar voz às pessoas naquilo que elas têm direito, de fazer as suas cobranças, suas críticas, suas denúncias, de levar seus anseios. E pouquíssimos veículos de comunicação abriram espaço para a população levar a mensagem, para que as pessoas possam reivindicar os seus direitos, as suas necessidades do dia a dia. O político precisa entender que ele é eleito para ser um empregado do povo, e não o contrário. É para servir ao povo, e não para se servir do poder. E o que me fez mudar então de opinião e resolver aceitar esse convite, é porque, infelizmente, o sistema que temos visto aí acontecendo nesses últimos anos, inclusive aqui em Teófilo Otoni, é uma tentativa de calar os programas que dão voz à população, nas suas críticas, nos seus direitos, nas suas reivindicações. Vocês sabem que eu comandei um programa de jornalismo por 12 anos, líder de audiência na cidade, pela manhã, e infelizmente o sistema tanto fez, que conseguiu me tirar esse espaço, que era um dos poucos que tinham na cidade, para que as pessoas pudessem ser ouvidas.

Eu então passei a repensar. Se está acontecendo isso aí dessa forma, eu quero continuar o meu trabalho, quero continuar dando voz às pessoas, e a única forma de garantir que isso continue, é entrando numa decisão de participar de um processo político partidário. Porque a gente chegando ao sucesso, é uma garantia. Meu trabalho é comunicação, é informação, é dar voz às pessoas. E, pode ter certeza, que independentemente do que acontecer, vou continuar cumprindo a minha missão de jornalista, de radialista, do que sempre fiz. Aquilo que for bom para a cidade, que for do interesse e melhorar a vida da população, vai continuar tendo o meu apoio. Agora, o que for ruim, pode ter certeza, independentemente de quem lá estiver, a população vai ter o mesmo espaço para continuar reivindicando. É isso que eu quero, garantir que as pessoas possam continuar tendo voz, e também tentar de alguma forma, com o conhecimento que a gente tem, por tudo que vivenciamos no dia a dia, do sofrimento das pessoas, principalmente na área da saúde, na assistência social, da educação, contribuir de alguma forma para podermos melhorar esse sistema aqui em Teófilo Otoni.

Porque é inaceitável uma pessoa mendigar uma vaga em um hospital, depois de ter contribuído por anos. Os políticos têm aquela história de deixar tudo para tentar fazer às pressas no último ano, em véspera de eleição. E não é justo que uma pessoa passe quatro anos esperando por uma cirurgia eletiva, para só ter direito aquele tratamento quando se aproxima época de eleição, para que um político possa ter algum benefício com aquilo. Isso que nós pretendemos mudar, e é por isso que eu resolvi aceitar esse convite para poder participar desse processo político eleitoral.

DT – Caso eleito for, quais são suas perspectivas de trabalho para a cidade? Como vice acredita que terá voz ativa para tomada de decisões?

VS – Sim. Normalmente as pessoas dizem que o vice é apenas uma peça decorativa. No meu caso, pelas conversas que eu tenho tido com Marinho e com todos os outros grupos políticos que estão conosco nesta caminhada, eu espero que seja diferente, e acredito que será. Até porque, eu acredito na palavra, na seriedade da pessoa com quem estou agora junto nesta disputa. E nós temos muito a contribuir. Eu vivo o dia a dia, há quase 40 anos de profissão, os problemas de Teófilo Otoni em todas as áreas, e a que mais me aflige, me deixa angustiado, é a área da saúde. Porque não é possível, não é aceitável que uma pessoa fique mendigando um atendimento médico, um exame, uma cirurgia, uma ressonância magnética.

Muitas vezes esperando meses, até anos, para ter esse atendimento. Acho que teremos sim condição de contribuir de alguma forma para poder melhorar e tirar essa cidade do patamar em que se encontra, e levá-la realmente a uma posição de cidade polo. Da mais importante cidade da região do Vale do Mucuri, porque aos poucos nós estamos perdendo isso. Está na hora de alguém tentar fazer alguma coisa, contribuir de alguma forma para que isso possa mudar, e eu estou acreditando muito. Tenho muita fé em Deus, e se tudo der certo, que a gente tenha condição de fazer isso, transformar essa realidade. Vai ser fácil? Não. Nenhuma batalha na vida é fácil, nenhuma conquista é fácil, e tenho consciência disso, mas nós também temos disposição, conhecemos as necessidades, conhecemos o que mais aflige a população.

DT – Além de palavras de apoio, você está sendo criticado por algumas pessoas, dizendo que você já fez palanque para Maria José, Getúlio Neiva e outros políticos. Estão confundindo o profissional com o pessoal. Vanilson Souza, você está preparado para responder a essas críticas? Agora deixou de ser o homem que fazia as críticas e passou a ser vidraça.

VS – De fato, as pessoas têm razão. Eu passei por vários palanques políticos aqui em Teófilo Otoni, e é mais um know-how que eu tenho, uma condição de poder avaliar e conhecer aquilo que a cidade precisa, que as pessoas anseiam. De fato, fiz parte da campanha da ex-prefeita Maria José, já fiz campanha para o ex-prefeito Getúlio Neiva, para o ex-prefeito Edson Soares, para o ex-prefeito Samir Sagih El Aouar, tudo isso na condição de profissional da comunicação. Agora é a primeira vez que estou entrando para a disputa de um cargo eletivo. Exatamente por ter passado por todas essas situações que eu adquiri experiência para saber o que é importante, o que realmente precisa ser feito, a forma que precisa ser trabalhada, para que possamos mudar as coisas, construir uma cidade melhor.

E o fato de eu ter passado por todos esses políticos que você citou, por todos esses palanques, é mais uma demonstração de que para mim, o que importa não é a coloração político-partidária, não é a ideologia, é fazer o bem para as pessoas, para que a cidade possa crescer. A gente tem que basear as ações que vamos fazer, naquilo que é importante para a população. E o fato de já ter transitado em todos esses grupos políticos, é exatamente o que me dá condição de falar que, graças a Deus, passei por todos eles, trabalhei de cabeça erguida, enquanto profissional da comunicação. Jamais sujei meu nome com nenhum deles, de qualquer agremiação partidária que fosse, tanto que posso fazer críticas, e fiz críticas a todos eles também enquanto comunicador, porque nunca fiz e nunca pedi nada de irregular, e jamais o faria. E agora, tendo essa experiência toda desses anos, e tomando essa decisão que tomei, que não é fácil, é que eu espero juntar todo conhecimento que adquiri para poder contribuir com a cidade.

DT – Como será o pré-candidato a vice-prefeito. Vai atuar como anteriormente?

VS – O pré-candidato Vanilson radialista, sou a mesma pessoa, terei a mesma postura, a mesma transparência. Sempre pautei minha vida por isso. Claro, como todo ser humano já cometi meus erros, já tive minhas falhas, e tenho também os meus méritos, graças a Deus, porque ninguém chega a uma condição dessa, de ser convidado para ser pré-candidato a vice de uma cidade onde nasceu, se não tiver os seus méritos, se não tiver um apoio popular. Eu fico muito honrado, lisonjeado pelo convite que aceitei, para tentar retribuir a Teófilo Otoni tudo que ela já fez por mim ao longo de toda minha vida.

Foi aqui que eu nasci e cresci, é aqui que eu trabalho. É aqui que eu tenho esposa, tenho filha, e espero um dia poder construir uma vida melhor para a população de Teófilo Otoni e da nossa região. Vamos caminhar firme. Sei que muitos obstáculos virão, a batalha não é fácil. Infelizmente na política do nosso País as pessoas muitas vezes deixam de discutir propostas, de discutir aquilo que é importante para a sociedade, para partir para ataque pessoal, para críticas. Sinceramente, não vou ficar preocupado com isso, porque ninguém joga pedra em árvore que não dá fruto. As críticas que vierem se forem construtivas, que forem para somar e que acrescente alguma coisa na minha vida, serão ouvidas, com certeza.

Mas, aquelas que têm o intuito apenas de destruir a imagem, de prejudicar, isso aí entra num ouvido e sai no outro, porque eu tenho um Deus que eu acredito, que me conduz e sempre me conduziu, me levou a tudo que eu conquistei até hoje, nunca me desamparou. Esse Deus que é forte, que é poderoso, vai nos guiar, nos mostrar o caminho não só nesta jornada, na disputa da pré-campanha, da campanha, mas também lá na frente, se Ele nos der essa honra de podermos representar o povo de Teófilo Otoni e fazer o melhor. Não só para a cidade, mas para o engrandecimento do Reino de Deus também aqui na terra. Um grande abraço para todos do Diário Tribuna.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui